Como preparar seu filho para a chegada de um irmãozinho?

Descobrir que vai ter um irmão mais novo é sempre um momento confuso para uma criança, que passa por uma mistura de sensações boas e ruins, como alegria, insegurança e ciúme ao mesmo tempo.

Seu filho pode até apresentar alguns sinais de regressão, como voltar a fazer xixi na cama e parar de falar, com o intuito de garantir que a atenção esteja voltada completamente para ele. Nesse momento, os pais precisam ser calmos e compreensivos.

Hoje, separamos algumas dicas para que você atenue esse processo para o seu filho mais velho e prepare-o para a chegada do irmãozinho. Vamos lá?

Envolva seu filho na gestação

Para que seu filho entenda que ele continua sendo importante na família, uma das coisas importantes a se fazer é deixar que ele tenha voz nas escolhas da gestação. Deixe-o participar da escolha dos nomes e das peças do enxoval para que ele se sinta incluído e indispensável no processo. Além disso, peça-o para acariciar sua barriga e te acompanhar nas ultrassonografias para ver o bebê.

Leve-o a maternidade

Depois do parto, deixe que seu filho vá a maternidade para conhecer o irmãozinho o mais cedo possível, para que ele comece a criar laços o quanto antes. Se possível, dê a ele um presente, como se tivesse sido dado pelo bebê que acaba de chegar.

Converse

Fale com seu filho sobre a importância dele e o lugar insubstituível que ele ocupa na família, para evitar que ele pense que está sendo substituído. Isso o ajuda a entender que a relação entre irmãos é de parceria, e não de disputa por espaço e atenção.

Dê atenção para ele

Faça questão de reservar um tempo para brincar, conversar e interagir com o mais velho. Se possível, peça ocasionalmente para alguém cuidar do bebê para que você possa estar com o mais velho sem preocupações. Além disso, passeios com tios e avós também são bem-vindos nessas horas.

Fuja de mudanças na rotina do mais velho

Isso é essencial para que ele entenda que a vida não é afetada negativamente pela chegada do irmãozinho. A entrada na escolinha, por exemplo, deve ser feita apenas após o mais velho estar adaptado ao bebê, pois poderia parecer uma perda de espaço caso fosse feita agora. Isso, é claro, se ela não tiver sido feita durante a gestação.

Além dessas dicas, é essencial que você seja compreensiva com o mais velho caso ele se recuse a dar carinho ou tocar o bebê. Isso é natural e tende a mudar conforme o tempo passa. No entanto, seja firme nas repreensões caso ele extrapole os limites e tente agredir ou bebê ou algo do tipo. Converse de maneira séria e puna-o se for o caso, sempre deixando claro que ele está sendo punido exclusivamente pelas suas próprias ações.

E aí, gostou das dicas?

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à conversa?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *