Posts

Não consigo tirar a chupeta do meu filho, e agora?

Tirar a chupeta do bebê não é tão fácil quanto fazê-lo usar. É necessário que os pais adotem maneiras de explicar à criança que ela já não é mais um bebê e não precisa mais da chupeta, incentivando a jogá-la fora.

Esta etapa de retirada pode ser complicada e demorada. Assim, exigindo muita paciência dos pais, até porque a criança pode sentir falta, ficar irritada e chorar muito pedindo pela chupeta. Sendo assim, é importante tirar a chupeta antes dos três anos de idade, porque a partir dessa fase ela se torna prejudicial à saúde, atingido o desenvolvimento dos maxilares, dentinhos e até mesmo na fala da criança.

Por isso, segue algumas dicas do que fazer para a criança largar a chupeta:

  1. Dizer à criança que as outras crianças da idade dela não usam chupeta e que é muito feio usar;
  2. Quando sair de casa, sempre pedir para deixar a chupeta em casa;
  3. Fazer um trato com a criança e usar a chupeta apenas para dormir e tirar da boca dela quando ela pegar no sono;
  4. Explicar sempre que ela já não precisa da chupeta e incentivar para que ela jogue a chupeta no lixo;
  5. Sempre que a criança pedir a chupeta, distraí-la contando alguma historia ou falando de outra coisa, talvez oferecendo outro brinquedo;
  6. Sempre elogiar a criança quando conseguir ficar sem a chupeta durante algum tempo.
  7. Se a chupeta estiver velha, incentive a criança de jogar no lixo;
  8. Levar a criança ao dentista para que ele explique de uma forma simples que a chupeta pode entortar os dentinhos e prejudicar a saúde.

Durante o processo de largar a chupeta é importante que os pais não voltem atrás com a decisão. É normal que seu pequeno chore, faça pirraça e fique muito irritado, porém é preciso ser paciente e compreensivo nessas horas.

Por exemplo, se foi definido que a chupeta deve ser usada apenas durante a hora de dormir, não entregue a chupeta à criança durante o dia de forma alguma. Lembre-se que se você entregá-la a criança, ela entenderá que se fizer pirraça ou chorar ela conseguirá o que deseja.

Por que não ter pena do filho e tirar a chupeta?

Como já falado, o uso da chupeta após os três anos de idade pode provocar alterações no maxilar, principalmente nos dentes. Criando um espaço muito alto entre os dentes e o céu da boca, e deixando os dentes para fora, fazendo com que a criança fique “dentuça”.
Além disso, pode levar a situações mais graves como as alterações no desenvolvimento da cabeça, como menor tamanho da mandíbula, (que é o osso do maxilar) alterando na fala, na respiração e na produção excessiva de saliva.

Tirar a chupeta do seu pequeno não é tão difícil assim, seja forte e firme na sua decisão, pois este momento é necessário para evitar consequências ainda mais complicadas.

Chupeta: quando é a hora certa de tirar?

Se despedir da chupeta pode ser difícil para alguns bebês, mas é um processo necessário. Apesar de servirem para diminuir os riscos de Síndrome da Morte Súbita Infantil nos primeiros 12 meses, especialistas apontam que, a partir daí, os pais podem começar o processo de remoção.

Mas como fazer isso?

Comece devagar. A partir do primeiro ano de idade, diminua gradualmente o uso da chupeta até que ele cesse totalmente perto dos 4 anos de idade. A essa altura, as chupeta pode causar danos à mordida e dentição, que podem afetar a mastigação, a fala e a aparência, podendo necessitar de tratamento ortodôntico.

Segundo a fonoaudióloga Melanie Potock, quanto mais cedo a chupeta for tirada da vida da criança, melhor. Isso porque, de acordo com Melanie, “há um período de crescimento cognitivo rápido por volta dos dois anos de idade, o que faz a criança perceber que ela tem um pouco de controle sobre os adultos e suas ações”. Ou seja, se eles chegarem aos dois anos de idade usando chupeta, tendem a reclamar da diminuição do uso. Para crianças com três anos, cria-se um apego emocional com a chupeta que precisa ser quebrado.

Apresente substitutos para a chupeta, como brinquedinhos e naninhas, por exemplo, e troque um pelo outro. É importante que seja algo macio, já que a criança tende a mordiscar. Para a criança, nesse momento, o estímulo criado quando mordisca os novos brinquedos substitui os estímulos que eram fornecidos quando chupava chupeta.

Outra tática conservadora é limitar o uso aos poucos, até que ele pare de vez. Por exemplo, informe a criança que a partir de agora ela só pode usar a chupeta em casa. Depois de um tempo, apenas na hora de dormir. Eventualmente, cesse totalmente o uso da chupeta.

Se a criança já passou da hora de parar e você deseja um processo mais rápido e direto, uma das opções é dizer a ela que a chupeta quebrou. Explique que todas as coisas param de funcionar com o tempo e, com isso, além de parar de usar a chupeta, a criança tende a aprender. Outra alternativa é criar um ritual para o abandono da chupeta, como o ritual da troca dos dentes por exemplo. Diga ao seu filho que a fada das chupetas, por exemplo, vai buscar todas as chupetas e deixar uma recompensa em troca, e que isso é um processo normal.

Caso encontre dificuldades maiores para remover a chupeta, consulte um pediatra para receber orientação profissional

Esperamos ter ajudado!

Click here to add your own text

Cuidados básicos com a chupeta para evitar a transmissão do Coronavírus

A higiene da chupeta requer um cuidado especial das mamães, principalmente nos primeiros meses de vida do bebê, afinal, recém-nascidos são muito suscetíveis aos gérmenes. Portanto, periodicamente, é necessário higienizar a chupeta para manter o seu bebê saudável.

As chupetas devem sempre ser esterilizadas antes do primeiro uso. Para esterilizar a chupeta, pode-se fervê-la em uma panela com um nível suficiente de água por 5 minutos ou deixá-la em uma mistura de água e agentes esterilizantes. Lembrando que ao usar uma solução de esterilização, a chupeta não deve ficar imersa por um tempo superior ao recomendado, já que isso pode acarretar na danificação do material.

Cuidados redobrados com a Pandemia

Durante a pandemia do vírus COVID-19, é recomendado um padrão mais alto do que o normal para os produtos dos bebês, principalmente aqueles que são levados a boca. É aconselhável esterilizar mamadeiras, bicos e chupetas antes de cada uso.

Formas de esterilizar a chupeta

Esterilização a vapor na panela
Essa é maneira mais barata de esterilização pois não é preciso ter nenhum aparelho específico. Nesse caso, é necessário ter uma uma panela nova somente para a esterilização das mamadeiras e chupetas do seu filho.

Numa panela coloque água para ferver e deposite os objetos limpos a serem esterilizados. Deixe ferver por 4 ou 5 minutos e depois retire os objetos com uma pinça própria para essa finalidade. Não utilize nada para secar os objetos, deixe-os secar num escorredor limpo.

Esterilizador de Micro-ondas
Esse é um método bem prático e rápido. Ao esterilizar em um micro-ondas, é preciso colocar tudo dentro de uma tigela de vidro, num recipiente de plástico próprio para o uso no eletrodoméstico ou no esterilizador de micro-ondas.
O procedimento é feito colocando os utensílios no recipiente e cobrindo-os com água, levando ao micro-ondas em potência máxima por cerca de 6 minutos, ou de acordo com a orientação do fabricante do produto. Em seguida, deve-se deixar as chupetas secarem naturalmente, em cima de uma folha de papel de cozinha.

No esterilizador elétrico
Nesse caso, deve-se seguir as orientações do fabricante, que vem na caixa do produto. Em geral, o procedimento dura cerca de 7 a 8 minutos e o aparelho traz a vantagem de desgastar menos os objetos, prolongando assim, sua vida útil. Após o processo, pode-se deixar os utensílios secando no próprio aparelho antes de guardá-los em um recipiente bem fechado.