Pilates na gestação: Porque praticar?

A gravidez é um momento muito delicado para a saúde das mulheres, podendo causar muito desconforto e dores no corpo. Além disso, ainda há toda questão hormonal que acontece no organismo da gestante e gera uma montanha russa de emoções.

Nesta fase da vida das mulheres, é recomendado que se pratique algum esporte, e o pilates é uma ótima opção, visto que trará diversos benefícios. O maior diferencial desta atividade, é que os exercícios são executados levando em consideração o que precisa ser beneficiado em cada um dos trimestres da gestação e ainda visando todos os cuidados.

Assim, listamos alguns dos benefícios dessa prática para futuras mamães:
-O pilates auxilia a manter uma boa postura. Fortalecendo assim, o cinturão abdominal.

  • A prática contém exercícios de alongamentos e relaxamento que trarão satisfação, leveza e alegria a rotina da mulher, que está se exercitando mas não de uma forma pesada e exaustiva
  • O parto pode ser facilitado pois tal esporte fortalece os músculos pélvicos das mulheres e ainda as ensina a controlar essa zona pélvica.
  • Com aulas de pilates, ganha-se maior controle da respiração o que pode ajudar bastante no momento das contrações do parto
    -A prática do pilates melhora a qualidade do sono, mantendo a gestante mais energizada durante o dia.
  • O pilates cria uma ‘irrigação’ de sangue equilibrado por todas as partes do corpo ao praticar uma variedade de posições
    -Esta atividade irá ajudar bastante também na sua recuperação pós parto e também a voltar a ter seu corpo antes da gravidez em menos tempo.

Lembre-se que antes dos três primeiros meses de gravidez não é recomendado que a gestante faça exercícios físicos. Dessa forma, após este período, ela poderá estender essa prática até o oitavo mês, porém o que será decisivo para indicar o momento de parar é o peso da barriga que poderá causar um maior desconforto.

Essa modalidade é perfeita para gestantes, por isso se deseja realizá-la nesta fase tão importante de sua vida, indicamos que se procure instrutores familiarizados com mulheres grávidas para que tal prática seja realizada da melhor forma possível.

Não consigo tirar a chupeta do meu filho, e agora?

Tirar a chupeta do bebê não é tão fácil quanto fazê-lo usar. É necessário que os pais adotem maneiras de explicar à criança que ela já não é mais um bebê e não precisa mais da chupeta, incentivando a jogá-la fora.

Esta etapa de retirada pode ser complicada e demorada. Assim, exigindo muita paciência dos pais, até porque a criança pode sentir falta, ficar irritada e chorar muito pedindo pela chupeta. Sendo assim, é importante tirar a chupeta antes dos três anos de idade, porque a partir dessa fase ela se torna prejudicial à saúde, atingido o desenvolvimento dos maxilares, dentinhos e até mesmo na fala da criança.

Por isso, segue algumas dicas do que fazer para a criança largar a chupeta:

  1. Dizer à criança que as outras crianças da idade dela não usam chupeta e que é muito feio usar;
  2. Quando sair de casa, sempre pedir para deixar a chupeta em casa;
  3. Fazer um trato com a criança e usar a chupeta apenas para dormir e tirar da boca dela quando ela pegar no sono;
  4. Explicar sempre que ela já não precisa da chupeta e incentivar para que ela jogue a chupeta no lixo;
  5. Sempre que a criança pedir a chupeta, distraí-la contando alguma historia ou falando de outra coisa, talvez oferecendo outro brinquedo;
  6. Sempre elogiar a criança quando conseguir ficar sem a chupeta durante algum tempo.
  7. Se a chupeta estiver velha, incentive a criança de jogar no lixo;
  8. Levar a criança ao dentista para que ele explique de uma forma simples que a chupeta pode entortar os dentinhos e prejudicar a saúde.

Durante o processo de largar a chupeta é importante que os pais não voltem atrás com a decisão. É normal que seu pequeno chore, faça pirraça e fique muito irritado, porém é preciso ser paciente e compreensivo nessas horas.

Por exemplo, se foi definido que a chupeta deve ser usada apenas durante a hora de dormir, não entregue a chupeta à criança durante o dia de forma alguma. Lembre-se que se você entregá-la a criança, ela entenderá que se fizer pirraça ou chorar ela conseguirá o que deseja.

Por que não ter pena do filho e tirar a chupeta?

Como já falado, o uso da chupeta após os três anos de idade pode provocar alterações no maxilar, principalmente nos dentes. Criando um espaço muito alto entre os dentes e o céu da boca, e deixando os dentes para fora, fazendo com que a criança fique “dentuça”.
Além disso, pode levar a situações mais graves como as alterações no desenvolvimento da cabeça, como menor tamanho da mandíbula, (que é o osso do maxilar) alterando na fala, na respiração e na produção excessiva de saliva.

Tirar a chupeta do seu pequeno não é tão difícil assim, seja forte e firme na sua decisão, pois este momento é necessário para evitar consequências ainda mais complicadas.

Alimentação equilibrada para bebês até 2 anos de idade

Os primeiros dois anos da vida são essenciais para desenvolver gostos alimentares nutritivos que poderão perdurar a vida toda. Por isso, hoje falaremos sobre algumas dicas de como introduzir uma alimentação saudável ao seu baby.

Amamentação
É recomendado que o bebê se alimente apenas com leite materno até os seus seis meses, visto que ele oferece todos os nutrientes necessários
Novos alimentos a partir do sexto mês de vida
No sexto mês, a alimentação da criança deve conter arroz, feijões, raízes, verduras, legumes, carnes, ovo, frutas. Mas não é preciso interromper a amamentação, pois ela se faz necessária até os 2 anos de idade da criança.

Nada de açúcar!
Nestes primeiros anos, não ofereça açúcar, mel ou melado ao bebê, pois ao experimentar açúcar durante esta fase, ele terá maior preferência por alimentos não saudáveis como doces ou balas por toda a vida.

Estimule seu baby a mastigar
A mastigação é importante pois fortalece a bochecha do bebê e ajuda na formação de seus dentes e consequentemente no desenvolvimento da fala.
Ofereça comidas bem cozidas e amassadas, ao invés de alimentos triturados. Mesmo que os bebês não tenham dentes, eles conseguem esmagar e engolir alimentos.

Verduras, legumes e frutas
Tudo que nasce na terra e dá em árvores pode ser ingerido pelo bebê, por isso use e abuse das frutas e verduras para que ele cresça forte e com os nutrientes necessários.

Por fim, lembre-se de lavar bem os alimentos para evitar que haja germes que podem causar doenças. Além disso, é importante destacar que os hábitos saudáveis vão além da alimentação, sendo preciso incentivar que ele cresça ativo, estimulando atividades ao ar livre e evitando atividades que ele realize parado.

Essa fase requer muita atenção, pois alguns gostos e hábitos adquiridos nesses primeiros anos podem se manter até a vida adulta. Por isso, use nossas dicas para fazer com que seu baby se desenvolva da forma mais saudável possível.

Como ajudar seu filho a dormir mais, e melhor a noite

Dormir bem é essencial não só para o desenvolvimento do bebê como também para seu bem-estar mental. Além disso, é durante o sono a noite em que ocorre o processo de crescimento de seu pequeno. Dessa forma, separamos algumas dicas para ajudar seu filho a ter melhores noites de sono.

Crie uma rotina
É preciso que se estabeleça horários de despertar e ir dormir. Tente sempre seguir ao máximo estes horários, até mesmo no fim de semana.

Decidir tempos adequados de sono
De acordo com a Academia Americana de Medicina do Sono, cada faixa etária tem seu próprio tempo ideal de sono. Assim, para os bebês de 4 a 12 meses são necessárias 12 a 16 horas de sono por dia, incluindo sonecas. Já para bebês de 1 a 2 anos são necessárias 11 a 14 horas de sono por dia, incluindo sonecas. Por fim, para as crianças de 3 a 5 anos são necessárias 10 a 13 horas de sono por dia, também incluindo sonecas

Deixe seu filho dormir na própria cama
Ao acostumar a criança a dormir em seu próprio berço ou na cama desde cedo, ela se adapta melhor e terá menos chance de crescer com medo de dormir sozinha.

Não esqueça de se atentar a alimentação antes de dormir!
Para crianças, evite alimentos gordurosos refrigerantes e bebidas com cafeína antes de dormir, apenas alimentos mais leves são indicados. E para os bebês, a alimentação de madrugada deve parar entre 9 a 10 meses.

O quarto deve ser um ambiente tranquilo e calmo
Faz-se necessário montar um ambiente de paz com tons neutros , luz mais fraca e berço limpinho.

Ter atenção com a posição no sono
No caso dos bebês, eles devem dormir na posição supina (de barriga para cima) para prevenir a morte súbita. Já no caso das crianças mais velhas, se houver dificuldades associadas à posição ou à manutenção do sono durante a noite, elas podem ser discutidas com o pediatra.

Use essas dicas ao seu favor para ajudar seu pequeno a dormir bem e garantir todos os benefícios de uma boa noite de sono!

Saiba mais sobre processo de desfralde

O processo de desfralde é muito aguardado pelos pais, que, cansados de ter que trocar as fraldas do bebê a todo momento, torcem para que ele aprenda a ter controle dessa questão biológica. Este controle será conquistado junto com diversas outras noções que seu baby passará a compreender a partir dos dois anos de idade. É nessa faixa etária que eles passam a entender mais sobre o ambiente em que vivem e adquirem mais consciência corporal.

Para que essa mudança ocorra da melhor forma, é preciso que os pais não pressionem tanto o filho e tentem ajudar de maneira natural, ou seja, entendendo os sinais físicos cognitivos e comportamentais que o bebê expressa, que demonstram que ele está criando mais autonomia, e assim, estará mais preparado para o desfralde.

Se seu filho já fica de pé ou anda, faz movimentos que se assemelham ao de evacuar na hora de fazer cocô, e possui fezes mais sólidas, isso significa que ele se manifesta fisicamente pronto para iniciar tal processo. Além disso, se ele tem a capacidade de ficar sentado paradinho por 2 a 5 minutos, consegue abaixar a cueca ou calcinha sem ajuda,demonstra com feições ou falas que deseja evacuar, e ainda demonstra estar interessado em tornar-se mais independente, também entende-se que ele expressa os comportamentos necessários para o desfralde. Por fim, as manifestações cognitivas do bebê que demonstram preparo em relação a tal processo, são a identificação do banheiro como local onde ocorrem atividades de higiene pessoal, entendimento de comandos e compreensão de que certas ações devem ser realizadas em locais específicos.

Se seu filho apresenta tais características, você poderá começar o seu desfralde, e para isso, separamos algumas dicas:
-Deixe seu pequeno ir com você ao banheiro para que ele aprenda tal habito por imitação.
-Lembre-se de disponibilizar um penico ou um suporte para vaso sanitário e banquinho para que ele suba.
-Especialistas dizem que a melhor estação para o desfralde é o verão e a primavera, então iniciar essa mudança nesta época é uma boa alternativa.
-Mesmo que seu filho seja menino é preciso ensiná-lo a fazer coco sentado, pois no início, há uma grande chance do xixi vier junto com coco.
-Vista o baby com roupas que sejam fáceis de serem retiradas pois ele precisa de aprender a se despir sozinho
-Tente não brigar ou se mostrar bravo em casos de escape de xixi ou coco pois isso pode traumatizá-lo e desincentiva-lo a continuar tentando.
-Realize o desfralde noturno apenas se o diurno já estiver acontecendo e gerando resultados positivos.

Com essas dicas vai ficar mais fácil passar por esta nova fase do seu baby! Lembre-se sempre de apoiá-lo e elogiá-lo em qualquer pequena conquista dele durante este processo. Como está sendo essa novidade para você? Compartilha aqui com a gente!

Animais de estimação e o desenvolvimento infantil

Poucas pessoas sabem da quantidade de benefícios que um pet pode trazer para o desenvolvimento dos pequenos. Um animal de estimação irá mudar a vida do seu filho e ainda vai ser a coisa mais fofa vê-los brincando e se divertindo não é mesmo?

Desenvolvimento mental

Além deles serem importantes para que seu baby desenvolva mais a afetividade, eles ajudam também na comunicação interpessoal e, consequentemente, na sua sociabilidade e facilidade de expressão.

Os animais oferecem à criança um companheirismo e uma conexão emocional que auxiliará na auto-estima, fazendo com que ela cresça mais amada e confiante.

Adotar um membro de 4 patas para família pode ser uma ótima forma do seu filho aprender mais sobre responsabilidade. Tente dar pequenas tarefas a ele em relação ao bichano, como brincar ou trocar água, para que ele possa desenvolver melhor a autonomia.

Desenvolvimento físico

Outro ponto positivo é que ao interagir com o animalzinho, seja em uma brincadeira ou passeio, o pequeno trabalha também sua coordenação motora, equilíbrio, flexibilidade e força.

Saúde

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Kuopio, na Finlândia, as crianças que convivem com cachorro, têm o sistema imunitário mais forte, tendo menos risco de desenvolver doenças respiratórias e infecciosas. Além disso, tais crianças têm menos sensibilidade alérgica que as que cresceram sem esta convivência.

Por fim, é preciso lembrar de alguns cuidados necessários em relação ao animal, como estar sempre atento ao calendário de vacina e também ficar de olho nas interações com seu filho, caso ele tenha menos de 4 anos, visando garantir sua segurança.

E aí? Já pensou no seu filho com um amiguinho de 4 patas?

Dicas para viagens com filhos pequenos

Com as férias de julho se aproximando, muitos pais desejam curtir esse tempo com seus filhos em uma viagem em família. Mas no caso de quem tem filhos entre 3 e 5 anos – para impedir possíveis complicações e estresse – é necessário se planejar bem e ter em mente os cuidados necessários com os pequenos.

A primeira parte do planejamento de uma viagem é a escolha do destino, por isso lembre-se de evitar locais muito isolados, pois caso algum imprevisto aconteça, uma localização mais privilegiada – perto da cidade ou de hospitais – será de grande importância.

Além disso, pesquise com antecedência o endereço do centro de saúde mais próximo e tenha também o contato de algum médico, de preferência um pediatra de confiança, para que em casos menos graves, ele possa ajudar.

Ainda sobre o destino, faz-se necessário analisar se o hotel possui recreação, visto que crianças com esta idade precisam de cuidados e querem fazer novas amizades.

Dessa forma, separamos dicas de alguns locais que possuem esse perfil e são simplesmente maravilhosos:

Na região nordeste existem vários resorts que oferecem recreação, dentre eles está o Beach Park, localizado em Aquiraz (CE), que conta com vários brinquedos molhados que irão garantir a diversão do seu filho.

Se você não está procurando viajar necessariamente para um local de praia, mais para o sul do país, no Paraná, temos o resort Bourbon. Ele, em parceria com as Cataratas do iguaçu, oferece além de recreação, boliche, minizoo e piscina.

Já em Santa Catarina, o hotel Plaza Caldas da Imperatriz Resort & Spa, tem uma programação recheada de atividades ao ar livre para os pequenos. Por ser cercado pela Mata Atlântica, o lugar é lindo e encantará a todos.

Também, é preciso pensar em formas de evitar que as crianças sintam-se desconfortáveis ou irritadas durante o caminho até o destino final. Para distraí-las, baixe diversos jogos no tablet, leve livros de colorir e brinquedos que não façam sujeira. Aproveite para ensiná-las um pouco sobre responsabilidade e deixe que elas mesmas levem uma bolsa com seus brinquedos. Por fim, não esqueça de levar lanchinhos deliciosos para alegrar os pequenos.

Agora ficou mais fácil para você começar a preparar sua viagem, não é?

Quanto mais planejamento melhor!

Não deixe de viajar e se divertir por conta dos filhos, é muito importante relaxar e aproveitar enquanto eles estão pequenos para curti-los bastante.

COMO TRATAR DAS ASSADURAS DO BEBÊ

Durante os primeiros anos de vida a pele do bebê por ele ser mais sensível, fica mais exposta a absorver substâncias que provocam irritações.
A assadura aparece quando ocorre o aumento da temperatura e umidade do local, deixando a pele mais propensa à irritação. Podem influenciar no aparecimento das assaduras, das diarreias, infecções ou até mesmo nascimento dos dentes. Mas os cuidados podem ajudar a evitá-las.
Pode prevenir as assaduras através da troca de fralda com frequência, assim mantendo a criança mais seca. De vez em quando deixar o bebe sem nada também ajuda na respiração da pele.
O eritema, mais conhecido como assadura da fralda, é um tipo de irritação na pele que atinge a zona coberta pela fralda. A mãe deve analisar se a pele do bebê que fica em contato com a fralda como as genitais, virilhas, nádegas, parte superior das coxas ou parte inferior do abdômen está avermelhada, quente ou com bolinhas.
Quando o bebê está com a pele assada, ele chora e fica bastante incomodado, até porque a pele está sensível e dolorida.
Dicas de como tratar assadura do bebê:
Deixar o bebê sem fralda por alguns minutos todos os dias: Como já dito, ajuda na respiração da pele, evitando umidade;
Utilizar pomadas para assadura, sempre ao trocar a fralda: A pomada ajuda na cicatrização, tratando a pele. Nesse caso, lembre-se de sempre conversar com o pediatra antes de utilizar o produto no seu bebê.
Trocar a fralda com frequência: Evite que as fezes e a urina fiquem por muito tempo no interior da fralda. Muito importante saber que os lenços umedecidos com substância químicos, podem provocar mais irritação da pele, piorando a assadura;
A assadura pode ser passageira quando tratada, porém se não cuidar pode evoluir uma candidíase ou até mesmo uma infecção bacteriana.
A assadura do bebê na maioria das vezes pode ser causada pelo calor, umidade e pelo contato das fezes com a pele durante muito tempo na pele.
Pode também ser causada por conta dos lenços umedecidos ou a falta de higiene.
Talco caseiro
O talco caseiro pode ser usado em crianças de todas as idades, além de ajudar a acalmar a pele, serve como calmantes e anti-inflamatórias da camomila e o efeito do antisséptico da própolis, que ajuda a combater infecções.
Ingredientes:
3 colheres de sopa de maisena;
5 gotas de tintura de própolis;
2 gostas de óleo essencial de camomila.
Modo de preparo:
Peneire a maisena em um prato e reserve. Misture a tintura e o óleo essencial em um vaporizador pequeno, com a função de borrifar como um perfume de preferência. Em seguida, borrifar a mistura em cima da maisena com cuidado, para não formar grumos. Assim que estiver seco, armazene em um pote de talco e use sempre no bebê.
Observação importante: Evite colocar no rosto da criança. Esse talco tem a durabilidade de até 6 meses, contando a partir do dia que foi feito.
Fonte: https://www.tuasaude.com/como-identificar-assaduras-nos-bebes/#:~:text=O%20que%20fazer%20para%20tratar%20a%20assadura%20do%20beb%C3%AA&text=Aplicar%20uma%20pomada%20para%20assadura,ajudando%20a%20tratar%20a%20assadura.

IMPORTÂNCIA DA DOAÇÃO DO LEITE HUMANO

19 de maio é o dia Mundial de doação de leite humano, foi definido durante o V Congresso Brasileiro de Bancos de Leite Humano e o I Fórum de Cooperação Internacional em Bancos de Leite Humano, realizados em 2010, em Brasília, com a presença de representantes de 23 países.
A doação do leite humano ajuda a salvar vidas. Quando uma mãe doa o leite humano (leite materno), salva a vida de um bebê prematuro, da mãe que não teve sorte de dá leite, dos bebês doentes que precisam do leite humano para ajudar no amadurecimento do seu sistema gastrointestinal, entre outros motivos. Com a doação, reduz a mortalidade destes pacientes que são pequenos e vulneráveis por terem sua imunidade reduzida.
A doadora também se beneficia com a doação, alivia os sintomas da mama cheia, ajuda a manter a produção de leite humano, protege a mama de problemas como mastite e ingurgitamento mamário. Além do principal, ajuda outras mulheres e crianças, aumentando assim a autoestima por auxiliar outras mulheres com rede de solidariedade e muito amor.
Um pote de leite humano pode alimentar até 10 bebês por dia.
A mulher que doar o leite deve ficar atenta algumas recomendações importantes de como preparar o frasco da doação:

O frasco deve ser de vidro, tampa de plástico, boca larga, como de café solúvel;
Lave o frasco;
Retire o rótulo e o papel de dentro da tampa;
Coloque o frasco e a tampa numa panela, cobrindo- os com água;
Ferva- os por 15 minutos;
Escorra com a abertura voltada para baixo;
Utilize pano limpo, na hora de secar;
Feche o frasco sem tocar com as mãos na parte interna da tampa;

Muito importante à higiene da mulher para evitar contaminação do leite doado.

Lavar as mamas somente com água;
Lavar as mãos até o cotovelo, seguindo todas as normas;
Usar touca para cobrir os cabelos;
Utilizar máscara sobre o nariz e boca;

Pode-se fazer a retirada do leite a partir do nascimento do bebê, após cada mamada.
Deve deixar o bebê mamar normal, até o momento que ele se sentir satisfeito, após essa hora que pode retirar seu leite para adoção.

Assim que a mulher decide doar seu leite humano, deve entrar em contato com o banco de leite humano mais próximo da sua casa ou ligar para o Disque Saúde 136, primeiro é necessário realizar o cadastro.
Após o agendamento da visita da equipe do banco de leite, os profissionais explicam pessoalmente como realizar a coleta corretamente para assim, não haver contaminação. O banco de leite também distribui máscara, touca e frascos de vidro para realizar a doação de forma higiênica e correta.

A mulher não deverá amamentar o seu bebê, nem fazer a doação do leite materno nos seguintes casos:
Se estiver doente;
Se estiver tomando alguma medicação;
Se estiver infectada com algum vírus de doenças graves;
Se for usuária de drogas e bebidas alcoólicas;

Sendo assim, a mulher não poderá fazer a doação de leite para não prejudicar a saúde do bebê que irá receber esse leite.

Fonte: https://www.tuasaude.com/como-doar-leite-materno/#:~:text=Toda%20mulher%20saud%C3%A1vel%20e%20que,pr%C3%B3ximo%20para%20fazer%20a%20doa%C3%A7%C3%A3o.

Nova lei da cadeirinha nos veículos para crianças.

No dia 12 de abril entrou em vigor a nova versão da “lei da cadeirinha”. Traz mudanças importantes para o transporte de crianças. Entre elas está à obrigatoriedade para crianças com até 10 anos de idade ou que tenham menos de 1,45m devem ser transportadas no banco traseiro e usar os dispositivos de altura, as cadeirinhas. O uso do cinto de segurança também é obrigatório.
Quem desrespeitar as novas regras poderá ser autuado com uma multa de infração gravíssima, no valor de R$ 293,47 e 7 pontos na carteira.
Além disso, a nova lei traz adequações em função do peso e da altura das crianças, proporcionando ainda mais segurança no momento de escolher o dispositivo.

Conheça as cadeirinhas ideais para cada idade e observe as mudanças

• Bebê conforto: indicado para crianças de até um ano de idade e até 13 kg. O bebê deve ser colocado no banco traseiro e posicionado ao contrário, pois assim estará protegido caso haja um impacto maior quando o carro estiver em movimento.

• Assento infantil (Cadeirinha): utilizada para crianças de 1 a 4 anos de idade, que tenham entre 9 e 18 kg. Deve ser fixado no banco traseiro e criança deve ser posicionada para a frente, na direção do movimento do carro.
• Assento de elevação: indicado para crianças de 4 a 7 anos e meio de idade que não tenham atingido 1,45 m de altura, com peso entre 15 e 36 kg. A criança deve ser transportada no banco de trás sentada no banco de elevação, que permitirá o uso correto do cinto.
• Crianças com mais de 7 anos e meio de idade até 10 anos que ainda não tenham atingido 1,45 m de altura: banco traseiro, usando o cinto de segurança.

A importância da cadeirinha para as crianças

O uso das cadeirinhas de segurança para as crianças tem um único objetivo: proteger a vida dos pequenos em caso de acidente. Um estudo realizado recentemente pela Fundación Mapfre mostra que no Brasil morrem 32 crianças em acidentes de trânsito para cada milhão de habitantes de 0 a 14 anos. Grande parte dessas mortes se dá pelo não uso das cadeirinhas de segurança.

Conforto e segurança

Sabemos que a segurança é muito importante, mas saber se a criança está confortável é indispensável!
Por esse motivo, verifique se o modelo escolhido é o ideal para o conforto do seu pequeno e nunca deixe a criança em um longo período na mesma posição na cadeirinha, pois pode ser prejudicial à sua saúde.
Além disso, antes de fixar a cadeirinha no veículo, tenha sempre o manual de instruções em mãos e certifique-se se ela está sendo posicionada da forma correta, pois uma cadeirinha mal instalada pode causar grandes danos e que podem colocar em risco a vida da criança.
Agora que você já sabe da nova lei, vamos garantir a segurança do seu filho e adquirir a cadeirinha ideal para ele!