Posts

COMO LIDAR COM OS BEBÊS QUE BRIGAM COM O PEITO

Sabe quando o bebê começa brigar com os seios, você oferece e ele recusa, se você tira ele pede, ele puxa, morde, ele quer e não quer… Existem vários motivos disso está acontecendo.

A maioria dos bebês quando estão em fase de crescimentos acabam ficando mais agitados e acabam brigando com o peito. Uns dos motivos dessa agitação são as cólicas, dentes nascendo e para aliviar essas dores muitas mães colocam o bebê para mamar. Porém, além desses motivos existem outros que muitas mães não percebem e acabam cometendo um grande erro na hora da amamentação.

Alguns motivos que fazem o bebê brigar com o peito

  • Redução dos fluxos: Quando o bebê sente que o fluxo está forte ele mama com tranquilidade, porém pode acontecer desse fluxo diminuir assim deixando o bebê bastante irritado. Nessa hora é indicado trocar o lado e amamentar com o outro peito.
  •  Excesso de fluxo: Muitos bebês estão mamando e acabam recebendo um grande fluxo de leite, que causa o engasgamento, nessa hora ele se irrita e não quer voltar para peito.
  • Sono: Muita das vezes o bebê está apenas com sono com a necessidade de descansar ou de dormir. Porém, pode acontecer da mãe achar que é fome e colocar no peito, deixando a criança mais cansada e estressada por não conseguir dormir.
  • Sem fome: Muita das vezes as crianças choram e a mãe da o peito achando que é fome. Por não ser fome o bebê acaba ficando estressado e briga com peito.
  • Confusão de bicos: Quando o bebê utiliza chupeta, mamadeira e peito, ele estranha as texturas. A maioria das vezes a criança utiliza muito a chupeta, então quando vai mamar sente a diferença do bico. Se esse for o motivo principal é aconselhado abandonar a chupeta e a mamadeira

Sendo assim, é muito importante conhecer, entender e saber as necessidades do seu filho.

Gostaram das dicas? Espero que tenha ajudado vocês!

Fonte: https://www.macetesdemae.com/6-motivos-pelos-quais-o-bebe-briga-com-o-peito-na-hora-de-mamar/

Vantagens da Poltrona de Amamentação

A amamentação pode durar até 50 minutos, por esse motivo, investir na Poltrona de Amamentação é muito importante para mãe e o bebê durante a gestação.
No começo o bebê depende exclusivamente do leite da mãe, por mais que o pai, avó, tia ou até mesmo a babá possam cuidar, é somente a mãe que pode fornecer tudo que ele precisa.
O recém- nascido mama em média de 8 a 12 vezes ao dia e quando atinge dois meses, ele mama menos, porém de 7 a 9 vezes ao dia. Mama muito né?
Nessa fase é difícil estabelecer horários para a alimentação. Isto é, ter paciência e tempo é essencial nessas horas. Agora imagina só, como é cansativo segurar o bebê durante tanto tempo em uma só posição.
É por isso que existe a poltrona para amamentação, além do conforto traz segurança para o bebê.

Existem vários modelos de poltrona com varias características diferentes e essenciais. Veja algumas:

• Poltrona de amamentação com balanço: Além de ser confortável tem como vantagem o balanço, ideal para proporcionar um momento de comodidade para a mãe e para o bebê;
• Poltrona de amamentação de Suede: Uma opção aconchegante e delicada.
• Poltrona de amamentação de couro sintético: Versão moderna e confortável.
• Poltrona de amamentação em cores neutras: Feitas para as mamães que desejam ter mais filhos ou que não quer errar nas cores da decoração.

Por que comprar uma poltrona de amamentação?

• Evita dores nas costas;
• Torna a amamentação mais confortável e relaxante;
• Oferece suporte para a região lombar da Mãe;
• Pode ser usado como local de descanso;
• Os apoios de braço nas laterais ajudam na amamentação

Mamães ou futuras mamães estão esperando o que para adquirir a sua Poltrona de amamentação?

E ai, gostou da dica?

Fonte: https://www.ideiasdecor.com/poltrona-de-amamentacao/
https://blog.casatema.com.br/poltrona-para-amamentacao-vantagens-inspiracoes/

Conheça as precauções necessárias para manter o bebê seguro no berço

Muitos pais de primeira viagem ficam apreensivos quando chega a hora de comprar móveis para seus filhos por não saber quais precauções devem tomar para evitar acidentes domésticos, já que os bebês costumam ser bastante curiosos e exploradores dos seus ambientes domésticos. Este artigo irá tratar de recomendações de pediatras sobre como manter à prova de acidentes o berço do seu bebê.

O primeiro passo, segundo a Associação Americana de Pediatria, é colocar o berço no mesmo quarto onde dormem os pais da criança, para uma monitoração mais eficiente. A recomendação é que os pais durmam nas proximidades do bebê durante os primeiros seis meses de vida, mas os médicos sustentam que, idealmente, o período se estenda até o primeiro aniversário da criança. Para o berço, devido a essa indicação, os pais costumam optar por um móvel menor que não ocupe muito espaço no quarto, mas existem outros detalhes aos quais se deve atentar além do tamanho da cama.

Os brinquedos devem sempre ser removidos do berço antes do horário de dormir da criança, evitando a possibilidade de sufocamento ou do bebê conseguir sair do berço pisando em cima deles. A partir do momento em que a criança conseguir ficar de pé, móbiles e semelhantes devem ser removidos de cima do berço pois a criança pode se acidentar segurando ou se dependurando neles.

O colchão deve acompanhar com exatidão o tamanho do móvel: se for possível colocar dois dedos entre o colchão e a lateral do berço, é um indicativo de que está solto demais e que a criança poderá prender os pés ou as mãos nesse espaço. É importante se certificar, também, de que as grades do berço não possuam um espaçamento suficiente para passar a cabeça do bebê, pois ele pode ficar preso nessa posição.

Para evitar sufocamentos, os lençóis devem ser utilizados como cueiros, envolvendo o bebê e limitando os seus movimentos durante o sono. No caso do forro do colchão, deve-se apertar ao máximo o lençol ao estofado, para que não forme dobras ou excessos de tecido que poderiam causar acidentes, tropeços ou sufocamentos. O berço também deve ser mantido distante de janelas, mesmo que fechadas, pois as correntes de vento e o sol podem incomodar o bebê ou interromper seu sono.

Fontes:
healthychildren.org
whattoexpect.com
nationwidechildrens.org

Enxoval do bebê: uma lista completa com as melhores dicas

A gente entende que essa fase da gestação pode ser bastante trabalhosa e isso deixa qualquer mamãe ansiosa. São tantos paninhos, roupinhas e acessórios com nomes diferentes que fica mesmo difícil que uma pessoa conheça todos eles.

Mas para que você não deixe nada para trás, nós preparamos uma lista de enxoval onde você vai riscando os itens que já comprou. Está tudo organizado por categorias e com sugestões de quantidade que, na nossa experiência, serão o suficiente para ficar tranquila e curtir bastante os primeiros meses do bebê.

Para ter acesso a esse conteúdo, basta acessar o link, preencher algumas informações e pronto: você recebe gratuitamente em seu e-mail a sua lista de enxoval!

Caso tenha alguma dúvida para completar a sua lista, não deixe de falar com a nossa equipe. Todas as nossas vendedoras estão preparadas para te orientar com as melhores dicas. Na Balãozinho Glória, além de encontrar o melhor preço para montar o seu enxoval e de móveis para o quarto do bebê, você conta com a tradição de uma empresa há mais de duas décadas participando na vida das famílias.

Cuidados básicos com a chupeta para evitar a transmissão do Coronavírus

A higiene da chupeta requer um cuidado especial das mamães, principalmente nos primeiros meses de vida do bebê, afinal, recém-nascidos são muito suscetíveis aos gérmenes. Portanto, periodicamente, é necessário higienizar a chupeta para manter o seu bebê saudável.

As chupetas devem sempre ser esterilizadas antes do primeiro uso. Para esterilizar a chupeta, pode-se fervê-la em uma panela com um nível suficiente de água por 5 minutos ou deixá-la em uma mistura de água e agentes esterilizantes. Lembrando que ao usar uma solução de esterilização, a chupeta não deve ficar imersa por um tempo superior ao recomendado, já que isso pode acarretar na danificação do material.

Cuidados redobrados com a Pandemia

Durante a pandemia do vírus COVID-19, é recomendado um padrão mais alto do que o normal para os produtos dos bebês, principalmente aqueles que são levados a boca. É aconselhável esterilizar mamadeiras, bicos e chupetas antes de cada uso.

Formas de esterilizar a chupeta

Esterilização a vapor na panela
Essa é maneira mais barata de esterilização pois não é preciso ter nenhum aparelho específico. Nesse caso, é necessário ter uma uma panela nova somente para a esterilização das mamadeiras e chupetas do seu filho.

Numa panela coloque água para ferver e deposite os objetos limpos a serem esterilizados. Deixe ferver por 4 ou 5 minutos e depois retire os objetos com uma pinça própria para essa finalidade. Não utilize nada para secar os objetos, deixe-os secar num escorredor limpo.

Esterilizador de Micro-ondas
Esse é um método bem prático e rápido. Ao esterilizar em um micro-ondas, é preciso colocar tudo dentro de uma tigela de vidro, num recipiente de plástico próprio para o uso no eletrodoméstico ou no esterilizador de micro-ondas.
O procedimento é feito colocando os utensílios no recipiente e cobrindo-os com água, levando ao micro-ondas em potência máxima por cerca de 6 minutos, ou de acordo com a orientação do fabricante do produto. Em seguida, deve-se deixar as chupetas secarem naturalmente, em cima de uma folha de papel de cozinha.

No esterilizador elétrico
Nesse caso, deve-se seguir as orientações do fabricante, que vem na caixa do produto. Em geral, o procedimento dura cerca de 7 a 8 minutos e o aparelho traz a vantagem de desgastar menos os objetos, prolongando assim, sua vida útil. Após o processo, pode-se deixar os utensílios secando no próprio aparelho antes de guardá-los em um recipiente bem fechado.