Posts

Saiba qual é a idade ideal para seu filho começar a praticar esportes.

Os esportes são parte fundamental do desenvolvimento de uma criança, já que servem para a melhora das habilidades motoras e comunicativas. Muitos pais, no entanto, não sabem qual é o momento ideal para que seus filhos comecem a praticar esportes.

O texto de hoje é para te ajudar a entender melhor tudo que envolve o início da prática de atividades físicas para crianças.

Primeiro, o básico: esteja sempre atento ao desenvolvimento das habilidades motoras e de comunicação do seu filho, já que elas são essenciais para a prática de qualquer esporte, já que eles requerem algum grau de independência. É claro, no entanto, que cada esporte exige uma destreza diferente e, por isso, cada um tem uma idade mais apropriada para início.

Agora, ao que interessa: qual é a idade ideal para que meu filho comece a praticar cada esporte?

Natação

Segundo especialistas, a natação pode ser praticada desde a primeira idade, com a condição de ter sempre o acompanhamento profissional, é claro. O início das atividades na piscina é feita de maneira lúdica, para que o bebê se familiarize com a água e possa desenvolver cada vez mais suas habilidades, até estar apta para começar a praticar de fato. Além disso, o volume do treino deve aumentar conforme a idade.

Futebol

As escolinhas de futebol aceitam alunos a partir dos três anos de idade e, assim como a natação, começam de forma lúdica e divertida. A partir dos 6 anos, aproximadamente, é que as crianças começam a treinar os fundamentos básicos do esporte, como o passe, o chute e o drible. Por ser um esporte extremamente popular no país, as escolinhas de futebol costumam sempre ter muitas crianças e promover um ambiente muito positivo para o desenvolvimento social do seu filho.

Surfe

Por se tratar de um esporte praticado no mar, o surfe oferece um perigo ao seu filho caso não possua supervisão e orientação profissionais adequadas e, por isso, deve sempre ser praticado em escolinhas especializadas. Tendo isso em mente, a partir dos quatro anos de idade é possível iniciar as atividades em uma escolinha. O professor deve estar sempre atento ao desenvolvimento individual de cada aluno, adequando as aulas para que todos evoluam ser se sentirem frustrados.

Artes marciais

É recomendado que as artes marciais sejam iniciadas a partir dos sete anos, já que são esportes de maior exigência física. A partir daí, o treinamento é desenvolvido de forma menos intensa até os 13 anos, quando a criança pode de fato começar a aumentar o nível dos treinamentos. As artes marciais, além de ajudarem a manter as crianças ativas fisicamente, ajuda no aprendizado de valores como a disciplina e o comprometimento.

As atividades físicas servem para melhorar a auto-estima, a socialização, a coordenação motora e inúmeros outros fatores físicos e mentais.

Agora que você sabe a idade ideal para que seu filho inicie a prática de um esporte, basta que vocês escolham o que ele prefere para ele começar!

3 receitas deliciosas para fazer com seu filho nas férias

Cozinhar com os filhos é uma ótima maneira de criar desde cedo uma boa relação com a comida. Dessa forma, as crianças entendem o valor de uma boa refeição e desenvolvem um paladar mais diversificado. Além disso, a hora da cozinha é um ótimo momento para estreitar laços e passar um tempo de qualidade com os filhos, conversando e interagindo enquanto fazem a comida.

Hoje, separamos 3 receitas fáceis de fazer que você e o seu filho vão adorar.

Panqueca de banana

Ingredientes:

  • 1 colher de sobremesa de aveia
  • 1 ovo
  • 1 banana madura
  • 1 colher de chá de canela
  • 1 colher de sobremesa de cacau em pó

Modo de preparo:

Amasse a banana com um garfo, acrescente a canela e reserve. Em seguida, em outro recipiente, amasse a banana com um garfo, acrescente a veia e o cacau e misture bastante. Por último, junte ao demais ingredientes eleve para uma frigideira untada com um fio de óleo até dourar.

Omelete de forno

Ingredientes:

  • 6 claras de ovo
  • 4 gemas de ovo
  • 1 tomate
  • 1/3 cabeça de brócolis
  • 1 colher de sopa de orégano
  • Sal a gosto
  • Manteiga ou margarina para untar

Modo de preparo:

Primeiro, preaqueça o forno na temperatura de 180°. Em seguida, com a ajuda de um pincel, unte a forma com manteiga ou margarina. Depois, corte o tomate o tomate em cubos pequenos e o brócolis em ramos. Bata as claras em neve em uma batedeira e misture as gemas com a ajuda de uma espátula, acrescente o sal e, por último, leve ao forno até dourar.

Guacamole

Ingredientes:

  • 1 abacate
  • 1 cebola roxa
  • 1 limão (sumo)
  • 1 dente de alho
  • 2 tomates
  • Cheiro verde ou coentro
  • Azeite de oliva extravirgem
  • Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:

Primeiro, retire o abacate da casca e amasse-o com um garfo. Em seguida, pique o tomate e a cebola e as ervas. Por último, amasse o alho, misture com todos os ingredientes e tempere com as ervas, o sal, o azeite, a pimenta e o limão.

Sempre treine seus filhos para que eles desenvolvam seu paladar e sua destreza na cozinha gradualmente, e lembre-se de distribuir as atividades de acordo com a capacidade de cada filho e cuidar para que eles não tenham acesso a objetos que podem machucá-los, como facas e tesouras.

Agora que você já conhece essas receitas de dar água na boca, basta chamar o seu filho para a cozinha e começar a diversão!

Saiba como proteger seus filhos do sol e da desidratação neste verão

Finalmente chegaram as férias de verão, a época do ano mais esperada pelas crianças para brincar, relaxar e se divertir. Para os pais, no entanto, é necessário ter uma série de cuidados para que os filhos não sejam prejudicados pelas fortes radiações solares e temperaturas do período.

A desidratação e a insolação são exemplos comuns de problemas que podem ser causados pelos descuidos em relação ao calor e a luz solar que, além desses problemas, podem causar até câncer de pele em casos mais graves.

Pensando nisso, separamos uma lista de dicas importantes para que você proteja seus filhos e garanta que eles curtam as férias sem nenhum risco. Vamos lá?

  • Protetor solar

Busque orientação pediátrica na hora de escolher o protetor solar ideal para o seu filho. Para crianças de seis meses até dois anos, por exemplo, existem os filtros 100% físicos. A partir dos dois anos, já é recomendado o uso de protetores denominados ‘kids’ ou ‘para crianças’.

Além disso, os protetores adequados são normalmente os de FPS 30 ou maiores, com resistência à água e que não ardem os olhos. Antes de utilizar, faça um teste em uma pequena parte do corpo da criança para se certificar que não haverá irritação da pele.

Faça o uso do creme protetor solar cerca de 30 minutos antes da exposição ao sol, e não se esqueça de reaplicar o produto a cada duas horas. Além disso, certifique-se de utilizar o protetor mesmo em dias nublados.

A utilização do protetor solar não é recomendada para bebês de até seis meses, já que eles ainda têm a pele muito fina e sensível. Nesses casos, o ideal é que os bebês tomem pequenos banhos de sol no início da manhã ou no final da tarde.

  • Evite o excesso

Evite que seus filhos estejam expostos ao sol entre as 10 e 16 horas. Isso porque esse é o horário com a maior incidência de raios solares nocivos à pele e a saúde, podendo causar insolação, desidratação e até queimaduras.

Além disso, lembre-se de, mesmo em horários mais amenos, não exagerar no tempo exposto ao sol e garantir que as crianças estejam hidratadas. Água mineral, sucos naturais e água de coco, por exemplo, são boas opções para se manter hidratado durante o tempo exposto ao sol.

Se a criança já estiver desidratada, no entanto, recomenda-se o uso de soro oral, encontrado em farmácias e postos de saúde. Bebidas isotônicas, água de coco e água não funcionam como forma de reidratação para alguém desidratado. Além disso, deve-se procurar um médico.

Com esses cuidados, seus filhos vão poder aproveitar as férias com saúde e sem maiores complicações, afinal, é por esse momento que eles passam o ano esperando!

A importância da nutrição na gestação

É essencial que toda grávida mantenha uma boa nutrição durante a gestação. Segundo as palestrantes Luane Magnago e Nicolle Fiorot, estudos apontam que tudo aquilo que a mãe consome durante a gestação e toxinas as quais ela se expõe, influenciam na saúde do bebê até sua fase adulta. Além disso, cuidar da alimentação durante a gestação previne doenças além de garantir nutrição para evitar sintomas na mãe e garantir um desenvolvimento adequado para o crescimento do bebê.  

É essencial que a gestante tenha um acompanhamento nutricional durante sua gestação. Pois ele tem como objetivo avaliar o estado nutricional da gestante; melhorar hábitos alimentares; acompanhar a ganha ou perda de peso; prevenir doenças, etc. Tendo como maior preocupação a boa nutrição, pois o bebê necessita disso!  

Dicas para uma gestação saudável: 

  • Produtos orgânicos 
  • Higienização de vegetais e frutas 
  • Comida natural  
  • Variedade de alimentos 
  • Consumo de água  
  • Sono regulado 

O que se deve evitar:  

  • Industrializados  
  • Carboidratos ruins  
  • Metais pesados (evite papel alumínio, panelas de alumínio, desodorantes com alumínio, enlatados) 
  • Plástico (não pode ser aquecido nem congelado) 
  • Adoçantes  

Separamos a gestação em três trimestres:  

1º trimestre 

  • Faça no mínimo 5-6 refeições diárias em horários regulares com intervalos de 2 a 3 horas.  
  • Evite adoçantes artificiais como: aspartame, ciclamato, sucralose e sacarina, etc.  
  • Não consuma carnes cruas e mal passada e salada crua fora de casa (podem ter contaminação por toxoplasmose).  
  • Faça a higienização correta das verduras e legumes em casa.  
  • Diminua o consumo de sal. 
  •   Exclua alimentos industrializados e refrigerantes 
  •   Evite o consumo de bebidas que contenham cafeína: café, chocolate, chás.  
  • Evite açúcares, frituras, farinhas refinadas, alimentos condimentados, enlatados, corantes, alimentos light/Diet. 

2º trimestre 

  • Corte o açúcar, doces e refrigerantes. O excesso de açúcar neste período aumenta o seu ganho de peso, inchaço e aumenta flutuações na sua glicemia e o risco de diabetes gestacional.  
  • Procure beber muita água.  
  • Aumente o consumo de fibras pois nesta fase o intestino tende a ficar mais constipado. 
  •  Diminua o consumo de sal. 

3º trimestre  

  • Aumente o consumo de alimentos ricos em ômega 3: peixes, chia.  
  •  Corte o açúcar, doces e refrigerantes. O excesso de açúcar neste período aumenta o seu ganho de peso, inchaço e aumenta flutuações na sua glicemia e o risco de diabetes gestacional.  
  •  Aumente o consumo de fibras! Exemplo: farinha de banana verde, farelo de aveia, farinha de maracujá e quinoa em flocos são excelentes opções para incrementar a alimentação, controlar a glicose e incluir mais fibras. 

Gostou das dicas e informações? Aproveite muito esse momento único que é a gravidez!  

As referências de texto e créditos são da palestra do curso de gestantes das Doutoras Luane Magnago e Nicolle Fiorot.  

Instagram das palestrantes: @luanenutricionista @nicollefiorotnutri  

A hora de ouro do bebê: Amamentação e o Parto Normal

Sabemos que a gestação é um momento muito importante na vida da mulher, pra isso é necessário que a mulher se prepare emocionalmente para se vincular com o bebê aproveitando os hormônios dessa fase tão especial. “Em 2016, o ministério publicou o Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas para Cesariana, com parâmetros que devem ser seguidos pelos serviços de saúde. A proposta é auxiliar e orientar profissionais da saúde a diminuir o número de cesarianas desnecessárias, já que o procedimento, quando não indicado corretamente, traz riscos como o aumento da probabilidade de surgimento de problemas respiratórios para o recém-nascido e grande risco de morte materna e infantil. Neste momento o mais importante para a gestante junto com o profissional de saúde que a acompanha (médico e/ou enfermeiro obstetra) é incentivar o parto normal e deixar você entrar em trabalho de parto para que hormônios importantes do nascimento sejam liberados. Entrar em trabalho de parto, deixar o bebê dar um sinal que ele está pronto para chegar é fundamental para o desenvolvimento emocional e fisiológico da criança.” (Rosana Lima)

A amamentação deve começar no local de parto, onde o bebê é colocado imediatamente em contato com a mãe. Essa hora tão importante, é denominada HORA DOURADA. “De acordo com a portaria 371 do Ministério da Saúde: Art. 4º Para o RN a termo com ritmo respiratório normal, tônus normal e sem líquido meconial, recomenda-se: I – assegurar o contato pele a pele imediato e contínuo, colocando o RN sobre o abdômen ou tórax da mãe de acordo com sua vontade, de bruços e cobri-lo com uma coberta seca e aquecida, verificar a temperatura do ambiente que deverá está em torno de 26 graus para evitar a perda de calor;” (Rosana Lima)

As vantagens da amamentação:

Ela ajuda, além da nutrição física, na construção emocional do bebê, criando laços entre mãe e filho.

O leite materno contribui para a inteligência da criança.

Protege o bebê contra doenças e reduz a chance de obesidade.

Facilita na perda de peso da mãe após a gestação.

As referências de texto e créditos são da palestra do curso de gestantes da Enfermeira Obstreta Rosana Lima.
Instagram da palestrante: @rosana.limaufes

Dicas de fim de ano para as mamães ocupadas

As comemorações de fim de ano já são estressantes por si só, imagina para as futuras e atuais mamães. A pressão de comparecer a eventos sociais, levar os filhos para festas e ainda ir atrás de presentes é grande.

Feriados são ótimos, mas geram muito estresse se não organizados. Por isso trazemos aqui algumas dicas para as mães lidarem com a correria do fim de ano sem esse estresse todo.

Vamos lá?

Equilibrar suas obrigações sociais.

É muito importante não se sentir na pressão de participar de todos os eventos, pois pode gerar uma sobrecarga. Manter esse equilíbrio é muito interessante.

Cuidar da saúde é essencial.

Se cuidar é um ato de carinho com você mesma, além de ser super importante. Manter uma alimentação saudável, não esquecer de exercícios físicos e ter uma boa noite de sono são fatores importantes para se manter saudável.

Organizar o tempo e fazer planos.

Manter uma boa organização é o ponto principal para conseguir fazer tudo que se planeja. Listar as responsabilidades, fazer orçamentos e planejar gastos podem ajudar na hora de se organizar melhor é importante.

Envolva sua família.

Às vezes na hora da correria esquecemos de dar atenção a todos que estão ao nosso lado. Por isso, é interessante envolver a família nas atividades do fim de ano, como embrulhar presentes juntos, preparar comida ou até mesmo decorar a casa. Vale a pena, além de ser uma atividade muito gostosa.

Peça ajuda.

Não tenha medo de pedir ajuda, use sua rede de apoio.

Passe um tempo com você mesma.

Tire um tempo para descansar e se cuidar, mamães também merecem cuidado. Não se cobre tanto e nem se encarregue de tudo para não sobrecarregar.

As dicas são essas, esperamos que você aproveite muito seu fim de ano e passe ótimos momentos em família ou até mesmo com você mesma!

Cuidados básicos com a chupeta para evitar a transmissão do Coronavírus

A higiene da chupeta requer um cuidado especial das mamães, principalmente nos primeiros meses de vida do bebê, afinal, recém-nascidos são muito suscetíveis aos gérmenes. Portanto, periodicamente, é necessário higienizar a chupeta para manter o seu bebê saudável.

As chupetas devem sempre ser esterilizadas antes do primeiro uso. Para esterilizar a chupeta, pode-se fervê-la em uma panela com um nível suficiente de água por 5 minutos ou deixá-la em uma mistura de água e agentes esterilizantes. Lembrando que ao usar uma solução de esterilização, a chupeta não deve ficar imersa por um tempo superior ao recomendado, já que isso pode acarretar na danificação do material.

Cuidados redobrados com a Pandemia

Durante a pandemia do vírus COVID-19, é recomendado um padrão mais alto do que o normal para os produtos dos bebês, principalmente aqueles que são levados a boca. É aconselhável esterilizar mamadeiras, bicos e chupetas antes de cada uso.

Formas de esterilizar a chupeta

Esterilização a vapor na panela
Essa é maneira mais barata de esterilização pois não é preciso ter nenhum aparelho específico. Nesse caso, é necessário ter uma uma panela nova somente para a esterilização das mamadeiras e chupetas do seu filho.

Numa panela coloque água para ferver e deposite os objetos limpos a serem esterilizados. Deixe ferver por 4 ou 5 minutos e depois retire os objetos com uma pinça própria para essa finalidade. Não utilize nada para secar os objetos, deixe-os secar num escorredor limpo.

Esterilizador de Micro-ondas
Esse é um método bem prático e rápido. Ao esterilizar em um micro-ondas, é preciso colocar tudo dentro de uma tigela de vidro, num recipiente de plástico próprio para o uso no eletrodoméstico ou no esterilizador de micro-ondas.
O procedimento é feito colocando os utensílios no recipiente e cobrindo-os com água, levando ao micro-ondas em potência máxima por cerca de 6 minutos, ou de acordo com a orientação do fabricante do produto. Em seguida, deve-se deixar as chupetas secarem naturalmente, em cima de uma folha de papel de cozinha.

No esterilizador elétrico
Nesse caso, deve-se seguir as orientações do fabricante, que vem na caixa do produto. Em geral, o procedimento dura cerca de 7 a 8 minutos e o aparelho traz a vantagem de desgastar menos os objetos, prolongando assim, sua vida útil. Após o processo, pode-se deixar os utensílios secando no próprio aparelho antes de guardá-los em um recipiente bem fechado.