Afinal, qual é a idade ideal para dar um aparelho eletrônico para o meu filho?

A tecnologia vem se aperfeiçoando ao longo dos anos e se tornando cada vez mais acessível para todos e, com isso, pessoas de todas as idades têm usado cada vez mais smartphones, tablets e aparelhos eletrônicos em geral. Mas a partir de que idade, exatamente, é saudável dar aparelhos eletrônicos para uma criança? Adultos, por terem o discernimento e a maturidade necessárias, conseguem fracionar o uso para que ele não afete a realização de outras tarefas do dia a dia, porém crianças não. Tendo isso em vista, é necessário levar uma série de fatores em consideração antes de decidir dar um smartphone, por exemplo, para o seu filho.

Segundo a doutora em Educação pela PUC-Rio, Andrea Ramal, é necessária bastante reflexão antes de entregar um aparelho eletrônico a uma criança antes dos 12 anos. Não necessariamente por elas não estarem prontas para manusear a tecnologia, mas sim por talvez não terem o preparo mental para fazê-lo. Para muitas crianças, a internet se torna a única maneira de enxergar o mundo, e é aí que mora o problema. Moderação e cautela são essenciais, principalmente se tratando de um ambiente onde todo tipo de coisa está presente.

Seguindo esse raciocínio, a doutora afirma que não existe idade pré-definida para que uma criança passe a ter acesso a internet. Isso vai variar de acordo com a maturidade de cada um, e o importante é que os pais sempre estejam por perto supervisionando, ocasinalmente, o uso, e garantindo que a criança não extrapole o tempo determinado para o acesso.

Afinal de contas, privar o filho do uso do acesso a internet não é a solução. Em um mundo cada vez mais digital, isso seria deixá-los obsoletos ao que acontece no planeta e até atrasados para o mercado de trabalho, futuramente, quando estarão competindo por vagas que exigem destrezas e conhecimento em aparelhos eletrônicos.

Mas quais cuidados tomar, exatamente, depois que o seu filho ganha um smartphone?

É importante que você imponha limites de uso, monitore e, é claro, dê o exemplo. Afinal, você é a maior influência do seu filho. Se assegure que ele entenda que a internet não é o único meio de comunicação e faça questão de conversar sobre os possíveis perigos da internet.

No fim das contas, então, não existe idade ideal. O que importa é acompanhar o desenvolvimento da criança e constatar que ele está maduro o suficiente para lidar com a tecnologia de maneira positiva. A partir daí, então, se faça presente e acompanhe a jornada do seu filho com o aparelho para garantir que ele esteja utilizando de maneira saudável e sem excessos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à conversa?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *